Ir al menú de navegación principal Ir al contenido principal Ir al pie de página del sitio

Producción de incertitumbres y desmovilización en entornos digitales: la controversia de los incendios en la Amazonía brasileña

Resumen

Este estudio analiza como se usaron las condiciones de desmovilización en las disputas de sentido acerca de la controversia de los incendios en la Amazonía, con el objetivo de legitimar el gobierno brasileño. Seleccionamos publicaciones realizadas entre agosto y septiembre de 2019 en Facebook Fanpages de cuatro actores políticos involucrados en la controversia: Planalto, el presidente Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro y movimiento MBL. Analizamos los llamamientos que cuestionaban la concreción del problema, su relación con el interés público, sus posibilidades de solución y su relación con valores morales amplios. A través de la identificación de los principales temas, cuestiones y argumentos utilizados, concluimos que las condiciones de desmovilización descalificaran la participación de actores que se oponían al gobierno o para demostraran apoyo internacional, produciendo incertidumbres que contribuyen a la desinformación y crean obstáculos a la formación y el movimiento de los públicos.

Palabras clave

Redes sociales digitales, Desinformación, Formación de públicos, Desmovilización

PDF

Biografía del autor/a

Mariana Alarcon Datrino

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Unesp - Universidade Estadual Paulista. Bolsista da Fapesp - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, processo n. 2020/10447-6. Graduada em Relações Públicas pela Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (Faac/Unesp) (2016-2019), obteve Bolsa de Iniciação Científica da Fapesp (vigência 2018/2019, processo n. 2017/21427-3), com a pesquisa intitulada "Comunicação estratégica de movimentos sociais na internet - Estudo sobre o Facebook do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra". A referida pesquisa foi classificada como uma das 10 melhores pesquisas da Faac durante o XXXI Congresso de Iniciação Cientifica da Unesp (2019 - primeira fase), sendo indicada para representar a Faac na segunda fase do Congresso, que contou com pesquisas de Iniciação Científica de toda a Unesp. Membro do Grupo de Pesquisa Comunicação Midiática e Movimentos Sociais – ComMov desde 2018. Tem experiência na área de Comunicação/Relações Públicas.

Caroline Kraus Luvizotto

É bacharel (2000), mestre (2003) e doutora (2010) em Ciências Sociais pela Unesp – Universidade Estadual Paulista. Realizou estágio de Pós-doutorado na Universidade Nova de Lisboa – Portugal (2020). Desde 2013, ocupa o cargo de Professor Assistente Doutor na Unesp e desde 2014 integra o corpo docente permanente do Programa de Pós-graduação em Comunicação da mesma instituição. Líder do Grupo de Pesquisa Comunicação Midiática e Movimentos Sociais – ComMov. Atua na área de Sociologia da Comunicação, desenvolvendo estudos sobre a relação entre Comunicação, Cidadania e Movimentos Sociais, com ênfase nos temas: participação, mobilização social, deliberação pública, ativismo digital, comunicação para mobilização popular.


Citas

  1. Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Tradução: Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70.
  2. Braga, J. L. (2012) Circuitos versus campos sociais. En: Mattos, M. A., Janotti Junior, J., & Jacks, N. (Eds). Mediação & Midiatização (pp. 31-52). Salvador/Brasília: EDUFBA/COMPÓS.
  3. Braga, J. L. (2018). Instituições & Midiatização - um olhar comunicacional. En: Ferreira, J., Rosa, A. P., Fausto Neto, A., Braga, J. L, & Gomes, P. G. (Eds.). Entre o que se diz e o que se pensa - onde está a midiatização? (pp. 291-311). Santa Maria, RS: FACOS-UFSM.
  4. Carmo, S. (2019, 19 de agosto). Governadores lamentam a suspensão de recursos e defendem Fundo Amazônia. Congresso em Foco – Uol. Recuperado de: https://congressoemfoco.uol.com.br/meio-ambiente/governadores-lamentam-suspensao-de-recursos-e-defendem-fundo-amazonia/.
  5. Farias, L A. (2019). Opiniões Voláteis: opinião pública e construção de sentido. São Bernardo do Campo: Editora Metodista.
  6. Freelon, D., & Wells, C. (2020). Disinformation as Political Communication. Political Communication, 37 (2), 145-156. doi: 10.1080/10584609.2020.1723755
  7. G1. (2019, 24 de agosto). Presidente do Conselho Europeu questiona no G7 acordo com o Mercosul após incêndios na Amazônia. G1. Recuperado de: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/08/24/presidente-do-conselho-europeu-questiona-ratificacao-de-acordo-com-o-mercosul-apos-incendios-na-amazonia.ghtml.
  8. Gomes, W. Da discussão à visibilidade. En: Gomes, W., & Maia, R. C. M. Comunicação e democracia: problemas & perspectivas (pp. 117-162). São Paulo: Paulus, 2008.
  9. Henriques, M. (2017) Dimensões dos públicos nos processos de comunicação pública. En: Scroferneker, C. M., & Amorim, L. (Eds.). (Re)leituras contemporâneas sobre Comunicação Organizacional e Relações Públicas. Porto Alegre: EDIPUCRS.
  10. Inpe. (2019). Site Oficial. Disponível em: www.inpe.br. Acesso em: 21 fev. 2020.
  11. López, M. A. A (2021). El cambio climático: negocionismo, escepticismo y desinformación. Tabula Rasa, (37), 283-301. doi: 10.25058/20112742.n37.13
  12. Machado, L. (2019, 27 de agosto). O que se sabe sobre o 'Dia do Fogo', momento-chave das queimadas na Amazônia?. BBC News Brasil Online. São Paulo. Recuperado de: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-49453037.
  13. Marques, A. (2008). Os meios de comunicação na esfera pública: novas perspectivas para as articulações entre diferentes arenas e atores. Líbero, (21), 23-36.
  14. Martucci, M. (2019, 22 de agosto) O que diz a imprensa internacional sobre as queimadas na Amazônia. EXAME. Recuperado de: https://exame.com/brasil/o-que-diz-a-imprensa-internacional-sobre-as-queimadas-na-amazonia/.
  15. Novaes, M. (2019, 2 de agosto). “Constrangimento” com Bolsonaro por dados de desmatamento derruba diretor do Inpe. EL PAÍS. Recuperado de: https://brasil.elpais.com/brasil/2019/08/02/politica/1564759880_243772.html
  16. Pegorim, J. (2019, 19 de agosto). Por que o céu escureceu em São Paulo? Clima Tempo. Recuperado de: https://www.climatempo.com.br/noticia/2019/08/19/por-que-o-ceu-escureceu-em-sao-paulo--7543.
  17. Recuero, R. C. (2019). Disputas discursivas, legitimação e desinformação: o caso Veja x Bolsonaro nas eleições de 2018. Comunicação, mídia e consumo, 16 (47), 432-458. doi 10.18568/CMC.V16I47.2013
  18. Silva, D. (2019). Dinâmicas de desmobilização: a criação de entraves aos processos de formação e movimentação de públicos. In: Anais do XXVIII Encontro Anual da Compós, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre/RS, Brasil.
  19. Silva, D. R. (2017). Relações Públicas, ciência e opinião: lógicas de influência na produção de (in) certezas. (Tese de Doutorado em Comunicação Social). Universidade Federal de Minas Gerais: Belo Horizonte, Brasil.
  20. Tucker, J. A. et al. (2018). Social Media, Political Polarization, and Political Disinformation: A Review of the Scientific Literature. SSRN. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.3144139